quinta-feira, 22 de junho de 2017

DA CRIAÇÃO DO DISTRITO DE ALFREDO GUEDES

TEXTOS OFICIAIS DA CRIAÇÃO DE NOSSO AMADO DISTRITO, ERRONEAMENTE DENOMINADO "BAIRRO" OU "VILA". COMO SE VÊ NA OBSERVAÇÃO ATUALIZADA DO SITE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO, NÃO HOUVE REVOGAÇÃO EXPRESSA!




TEXTO ORIGINAL DO DIÁRIO OFICIAL DA ÉPOCA:


É O NOSSO DISTRITO SEGUINDO, CONTANDO A SUA HISTÓRIA E GUARDANDO AS SUAS LENDAS!

                                                                                     Alfredo Guedes Guardiã de Lendas
                                                                                     Célia Motta.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

CLAUDIO BOSO E O SEU MARAVILHOSO CÃO TARZAN

CLAUDIO BOSO E SEU MARAVILHOSO CÃO TARZAN







DENTRE TANTAS COISAS RARAS E POÉTICAS QUE JÁ NARRAMOS NESTE ESPAÇO, UMA, ME É MUITO CARA: É A PARTICIPAÇÃO DE MEU AMIGO CLAUDIO BOSO, EM ABSOLUTAMENTE TUDO O QUE SE REFIRA A ALFREDO GUEDES.
MEU AMIGO DESDE SEMPRE, RECORDO-ME COMO SE FOSSE HOJE, DE CADA UMA DE SUAS NARRATIVAS NO ALTO FALANTE DA IGREJA EM DIAS E NOITES DE QUERMESSE.  TEMPOS QUE JÁ SE VÃO AO LONGE... OUÇO OS ECOS AINDA AGORA. É A VOZ DE CLAUDIO RESSOANDO EM NOSSAS IMEDIAÇÕES!
EU NASCI E CRESCI NESSA ATMOSFERA EXALANDO CHEIROS ANTIGOS, CONSTRUÍDA POR PROTAGONISTAS TRADICIONALISTAS E CONSERVADORES, SEMPRE PRONTOS PARA TUDO O QUE BENEFICIASSE O NOSSO LUGAR, A NOSSA MEMÓRIA E A NOSSA HISTÓRIA. QUANDO EU ERA AINDA MUITO MENINA, SEMPRE ESPERAVA PELA PASSAGEM DE CLAUDIO BOSO, NA CALÇADA DA CASA DE MEU AVÔ. SENTADA SOB A GRANDE PRIMAVERA EM FORMATO DE GUARDA CHUVA QUE O VELHO LOURENÇO TINHA EM SEU PORTÃO DE ENTRADA, FICAVA EU LÁ, POR UM LONGO TEMPO ATÉ QUE CLAUDIO PASSASSE... ENQUANTO ELE NÃO VINHA, EU OBSERVAVA AS PEQUENAS FLORES COR DE MARAVILHA QUE SE DESPEJAVAM PELO CHÃO, À MINHA VOLTA. SOBRE MIM, EU OBSERVAVA UM CÉU ARREDONDADO MESCLANDO-SE EM VERDE E MARAVILHA! MEU SURREAL GUARDA CHUVA DE SONHOS INFANTIS! ERA A MINHA ALMA ADVINHANDO O QUANTO EU O ADMIRARIA AO LONGO DE TODOS OS ANOS QUE VIERAM DEPOIS. E EU DE FATO, NÃO ME ENGANEI.
CLAUDIO É DESSAS PESSOAS, COM AS QUAIS VOCÊ PRECISA SENTAR-SE COM UM GRAVADOR LIGADO OU ANOTAR ABSOLUTAMENTE TUDO O QUE ELE DIZ: ELE É UMA VERDADEIRA ENCICLOPÉDIA DE HISTÓRIAS GUEDENSES. E QUANDO ELE CONTA AS PASSAGENS ANTIGAS, A GENTE PERCEBE QUE ELE AS ESTÁ REVIVENDO O PASSADO NO MOMENTO PRESENTE. POR ISSO, TUDO À VOLTA DELE VAI SE TRANSFORMANDO EM IMAGENS REAIS.
NA ÉPOCA DA BUSCA DE MATERIAIS PARA A INSTALAÇÃO DO MEMORIAL ALFREDO GUEDES, CLAUDIO FOI MAIS QUE PRONTO, TORNANDO-SE UM COLABORADOR INCANSÁVEL. FOI PESSOALMENTE AO ENCONTRO DE CONCEIÇÃO LANGONA, NO MUSEU ALEXANDRE CHITTO, EM LENÇÓIS PAULISTA, COM UMA PASTA ENORME, REPLETA DE FOTOS DE ÉPOCA E UMA BAGAGEM EMOCIONAL COMPOSTA DE HISTÓRIAS SURREAIS E SAUDOSISTAS. MEMÓRIA IMPECÁVEL!
QUANDO DA INAUGURAÇÃO DO MEMORIAL, MESMO ESTANDO EM RECUPERAÇÃO DO SÉRIO ACIDENTE DO QUAL FOI VÍTIMA, ELE FOI NOS VISITAR. AINDA SEM PODER ANDAR DIREITO, LÁ COMPARECEU COM A SUA ESPOSA MARISA, A SOGRA E O SEU FILHO UDSON, QUE GENTILMENTE OS LEVOU ATÉ LÁ, SENTADO EM UMA CADEIRA, NA CARRETA DO TRATOR. ESTE HOMEM DE MIL VIVÊNCIAS E MIL SOLICITUDES, ASSIM É:
CORAÇÃO E ALMA “ALFREDOGUEDENSE”!
ENTREGANDO UMA DE SUAS FOTOS, EM QUE AINDA ERA UM GAROTO, DE OLHARES DE HORIZONTES E ESPERANÇAS INFINITAS, ABRAÇADO A UM LINDO CACHORRO, NA FAZENDA SÃO SEBASTIÃO, DE SUA FAMÍLIA, FEZ QUESTÃO DE EXIGIR: “Quero que coloquem nesta foto a seguinte legenda: Claudio Boso e seu maravilhoso cão Tarzan”. FOI PRONTAMENTE ATENDIDO.

EM UMA DE SUAS NARRATIVAS, RESOLVEU CONTAR-NOS UM FATO OCORRIDO, POR OCASIÃO DO FALECIMENTO DE SEU SAUDOSO PAI, FORTUNATO BOSO; E SOMENTE ENTÃO, NÓS ENTENDEMOS O MOTIVO DE HOMENAGEAR O BELO CÃO: A FIDELIDADE E O AMOR DEVOTADOS AO SEU DONO FORTUNATO BOSO, MAIS CONHECIDO COMO “NATO BOSO”.
O ANO É DE 1958, E O SOL BRINDA A FAZENDA SÃO SEBASTIÃO, AQUECENDO OS RASGARES DE PALHAS DE MILHO, ILUMINANDO A ALEGRIA DAS CRIANÇAS EM CONFECCIONAR OS PRÓPRIOS COLCHÕES. GRANDES NUVENS FOFAS A RECEBER SALTOS E SORRISOS INFANTIS.
EM CERTO DIA, SR. NATO BOSO CONVIDOU O SEU IRMÃO SEGUNDO BOSO PARA UMA PESCARIA NO RIO LENÇÓIS. TARZAN OS ACOMPANHOU A PEDIDO DE NATO, POIS ERA OBEDIENTE. SE FOSSE CHAMADO POR UM ASSOBIO, ACOMPANHAVA. SE NATO LHE ORDENASSE QUE FICASSE DEITADO, O CÃO ALI ESPERAVA.
CHEGANDO AO RIO, CADA IRMÃO ESCOLHEU UM LOCAL DIFERENTE PARA SENTAR E PESCAR. O PRESTATIVO CÃO, OBVIAMENTE ACERCOU-SE DE SEU DONO E POR ALI PAROU.
DEPOIS DE CERTO TEMPO, O CÃO FOI EM DISPARADA CHAMAR A ATENÇÃO DO SR. SEGUNDO BOSO... LATIA, UIVAVA, VOLTAVA AO POSTO DE PESCARIA DE NATO E MAIS UMA VEZ RETORNAVA OFEGANTE E AGITADO ONDE ESTAVA SEGUNDO.
SEGUNDO ENTENDEU QUE O CÃO O ESTAVA CHAMANDO PARA VER ALGO. SEGUNDO ENTÃO SEGUIU O CACHORRO. LÁ CHEGANDO, OBSERVOU QUE O SEU IRMÃO NATO ESTAVA PASSANDO MUITO MAL E O CÃO FIEL QUERIA AJUDÁ-LO.
SEGUNDO FOI BUSCAR AJUDA PARA LEVAR O IRMÃO DE VOLTA PRA CASA. ENTRETANTO, A AREIA DA SAGRADA AMPULHETA DOS TEMPOS, HAVIA SE ESGOTADO!  NATO HAVIA PARTIDO PARA A LUZ.
NAQUELE TEMPO, AS PESSOAS ERAM VELADAS EM SUAS CASAS. AMIGO DE TODOS, COM UM TEMPERAMENTO BRINCALHÃO E SIMPÁTICO, TINHA SEMPRE UM SORRISO PARA OFERECER A QUEM QUER QUE FOSSE. QUERIDO QUE ERA, SEU VELÓRIO FOI VISITADO POR INCONTÁVEL NÚMERO DE PESSOAS.
O MARAVILHOSO CÃO TARZAN, INSEPARÁVEL AMIGO DE NATO, NÃO SE DISTANCIOU DO AMIGO NEM POR UM SEGUNDO. EM TRISTEZA SEM FIM, DEITOU-SE SOB O CAIXÃO FICANDO ATÉ A HORA DO SEPULTAMENTO.
QUEM VIU, CHOROU. E MAIS AINDA SE COMOVEU, QUANDO O CÃO FICOU EM PÉ, SE APOIANDO NO CAIXÃO DE NATO E LAMBEU O SEU ROSTO PARA DESPEDIR-SE.
MAGIAS SUTIS E MOMENTOS POÉTICOS OCORREM SOMENTE COM ALMAS ESPECIAIS E SENSÍVEIS. NATO FOI PARA A LUZ E SEU CÃO LOGO O ACOMPANHOU. POIS NOS SETE DIAS QUE SE SEGUIRAM, O CÃO SE NEGAVA A ALIMENTAR-SE SUBMERGINDO EM TRISTEZA E SOLIDÃO, PARTINDO PARA ENCONTRAR-SE COM O SEU INCOMPARÁVEL DONO.
ACHEI ESTA PASSAGEM LENDÁRIA, NORTEADA POR ENCANTADA POESIA. TODA DESPEDIDA, AINDA QUE SEJA DOLOROSA, INDEPENDENDO DE SER REPENTINA OU TARDIA, CARREGA A FORÇA DA ETERNIDADE, CARREGA A BELEZA DO CRIADOR EM CADA UMA DE SUAS DÁDIVAS.
NAS MEMÓRIAS DE CLAUDIO, AINDA SE HOUVE O RELINCHAR DE CAVALOS E A ANIMAÇÃO DE UM BANDO DE TROPEIROS, QUE ALGUM TEMPO DEPOIS DA PASSAGEM DE SEU PAI, VEIO PARA VISITÁ-LO. AINDA SE VÊ A REVERÊNCIA E O RESPEITO, DEMONSTRADO PELO ABAIXAR DE CABEÇAS DOS TROPEIROS, AO SABER DA PARTIDA DO AMIGO. A ALEGRIA CONVERTIDA EM DESAPONTADO SILÊNCIO, A SAÍDA MANSA E LENTA DAQUELES HOMENS MONTADOS EM SEUS CAVALOS, AINDA LEVANTA POEIRAS SAUDOSAS DA FAZENDA SÃO SEBASTIÃO DE ALFREDO GUEDES. O SORRISO FRANCO DE NATO BOSO, BEM COMO O OLHAR ATENTO E CUIDADOSO DO CÃO, AINDA ESTÃO LÁ! EM SAGRADA ETERNIDADE, VIVENDO NAS VEIAS DE SUA DESCENDÊNCIA.

                                                    ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS
                                                    CÉLIA MOTTA.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

SALIM E SUA NOIVA

A NOIVA DE SALIM.

AINDA NÃO TEMOS CERTEZA ABSOLUTA, MAS TUDO INDICA QUE SEU NOME ERA LUIZA CARDOSO.
PROVAVELMENTE, SUA FAMÍLIA FOSSE DE NOSSA CIDADE VIZINHA, MACATUBA.

CÉLIA MOTTA.

UM PEQUENO SANTUÁRIO

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

CAPELA DO SEPULTAMENTO DA FAMÍLIA MALUF EM LENÇOIS PAULISTA. 
ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS.
CÉLIA MOTTA.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

E DIANTE DA DOR, EU ENCONTRO A ETERNA BELEZA
DIANTE DA LÁGRIMA DA MÃE, A PUREZA
NA DOR DA VIUVEZ, A CERTEZA DO REENCONTRO
NA VOZ DA SOLIDÃO, O OLHAR E O AMPARO DE DEUS
SALIME! SÍMBOLO DA FORÇA, MANSA EM SEU AMOR
SIMBIOSE DE SANTA EM FLOR...

CÉLIA MOTTA.


CERTIDÃO DE NASCIMENTO DE SALIM MALUF

A imagem pode conter: 1 pessoa


CERTIDÃO DE NASCIMENTO DE SALIM MALUF. RARIDADES DE NOSSA GUARDIÃ DE LENDAS, QUE COMPUSERAM A NOSSA TRAJETÓRIA HISTÓRICA, E AGORA RECONSTROEM AS NOSSAS MAIS CARAS MEMÓRIAS NO TEMPO. 


Alfredo Guedes Guardiã De Lendas.
Célia Motta.


Nenhum texto alternativo automático disponível.

A TRAGÉDIA NOS JORNAIS

E SOBRE A TRAGÉDIA, O JORNAL "O E'CHO" SE PRONUNCIOU. EM 05/02/1939 E 08/03/1939. OS REGISTROS DERAM CONTA DO OCORRIDO.
ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS.
Nenhum texto alternativo automático disponível.



CNenhum texto alternativo automático disponível.

SENHOR MIGUEL MALUF E SUA SENHORA SALIME MALUF

AQUI NESTE ESPAÇO, ALGUNS MOMENTOS SÃO DE RARA POESIA. ENCONTROS SURPREENDENTES ME TROUXERAM DUAS FOTOS INÉDITAS E RARAS, AO MENOS PARA NÓS, DAQUI DA REGIÃO. TODOS JÁ OUVIMOS E JÁ FIZEMOS A LEITURA DA TRAGÉDIA OCORRIDA NA FAMÍLIA MALUF, NO ANO DE 1939, EM QUE FALECERAM PAI E FILHO, NA NOSSA ALFREDO GUEDES.
O QUE ATÉ ENTÃO NÃO DISPÚNHAMOS, ERA DA IMAGEM DE TÃO DISTINTO CASAL, QUE AQUI ENTRE NÓS, FORMOU A FAMÍLIA E EMPREENDEU NO COMÉRCIO LOCAL, NO RAMO DE VENDAS DE CARNE, AO SEU TEMPO DE PERMANÊNCIA NO NOSSO MÁGICO REDUTO.NÃO DISPÚNHAMOS TAMBÉM, DA IMAGEM DE SALIM, SEU JOVEM FILHO MORTO NA MESMA TRÁGICA CIRCUNSTÂNCIA.
CRESCI ESCUTANDO MINHA FAMÍLIA FALAR, E FALAR MUITÍSSIMO BEM, DE DONA SALIME, DO SR. MIGUEL E DO FILHO DO CASAL, CHAMADO SALIM MALUF. ESCUTEI E SENTI CADA TRAÇO DE TRISTEZA E SAUDADE DEIXADO NA DESPEDIDA DESSA TRADICIONAL FAMÍLIA, QUE ALFREDO GUEDES TEVE UM DIA, A HONRA DE RECEBER, E A DOR DE DESPEDIR-SE.
UM ORGULHO INENARRÁVEL PARA MIM. É TAMBÉM UMA EMOÇÃO INIGUALÁVEL, QUE CREIO SER INCLUSIVE, O REFLEXO DE TODOS OS MEUS QUE JÁ SE FORAM, MAS QUE CONVIVERAM COM SALIME E MIGUEL. ENTÃO, QUERO DIVIDIR COM VOCÊS A MAGIA DE VOLTAR NO TEMPO E REGATAR UMA PRECIOSIDADE DO GARIMPO. RARA E INÉDITA! 


CÉLIA MOTTA.



CONTA-SE QUE CORRIA O ANO DE 1939 NA NOSSA GUARDIÃ DE LENDAS... O SENHOR MIGUEL MALUF COMERCIALIZAVA CARNES JUNTO A SEUS FAMILIARES. COMPRAVA E ABATIA GADO PARA SUPRIR AS NOSSAS REDONDEZAS. ERA CASADO COM A SENHORA SALIME. FAMÍLIA DE LIBANESES. 
NAQUELA ÉPOCA, O SR. EMÍLIO DORACIOTTO, FEITOR DAS ESTRADAS DE FERRO, ESTAVA INCUMBIDO DE CONSTRUIR UMA CERCA.
ENTRETANTO, A CERCA ESTAVA COMPROMETIDA PELO ESPAÇO QUE UMA ÁRVORE OCUPAVA NA DIVISA ENTRE A PROPRIEDADE DOS MALUF E A ÁREA DA ESTAÇÃO DE TREM.
A DISCUSSÃO FOI INICIADA ENTRE MIGUEL E DORACIOTTO, E FOI GANHANDO FORÇA E CALOR... OS ÂNIMOS EXALTANDO-SE...
AS AGRESSÕES VERBAIS ACALORAVAM-SE MAIS E MAIS POR CONTA DA TAL ÁRVORE... DORACIOTTO PRECISAVA CORTÁ-LA E MALUF DEFENDIA O LIMITE DE SUA PROPRIEDADE!
SALIM, FILHO AMOROSO, PREOCUPADO COM A INTEGRIDADE FÍSICA DE SEU SEXAGENÁRIO PAI, ENTROU NA CONTENDA TENTANDO LEVAR EMÍLIO DORACIOTTO PARA CASA, NA ESPERANÇA DE ACABAR COM A DISCUSSÃO QUE PROMETIA IR ÀS VIAS DE FATO.
E OS MALUF SE APROXIMAVAM MAIS E MAIS DO ANGUSTIANTE DESFECHO ARMADO PELO DESTINO! AMADOS POR TODOS, "ALFREDOGUEDENSES" DE ALMA QUE ERAM, TIVERAM COMO EXPECTADORES NOSSOS ESPÍRITOS ANTIGOS ILUMINANDO TAMANHA ESCURIDÃO QUE CRESCIA SOBRE A ÁRVORE, DIVISA DE PROPRIEDADES, DIVISA DE DESTINOS, DIVISOR DE ÁGUAS DO ANTES E DO DEPOIS, PRETEXTO DE DEMANDA, REDUTO DE EXTREMA DOR!
ASAS DE LUZ FORAM COBERTAS POR REVOARES DE NEGRUME E AMARGOR, DORACIOTTO ENVOLVIDO PELA IRA DELE MESMO E POR TRAIÇOEIRAS IRAS EXTERIORES E SOMBRIAS, DESFERIU UM GOLPE DE CAVADEIRA NA CABEÇA DE SALIM... E O MOÇO TOMBARA SEM SUA ANTIGA FORÇA FECHANDO OS SEUS OLHOS ALI MESMO. MORRE O AMADO FILHO DE MIGUEL E SALIME MALUF.
NUVENS NEGRAS CRESCIAM E O FÉTIDO ODOR DA MALDADE JÁ SE FAZIA SENTIR NOS ARREDORES... OBEDECENDO À IRA, APESAR DA INDESCRITÍVEL DOR DO PAI DILACERADO, DORACIOTTO FERE GRAVEMENTE O SR. MIGUEL MALUF!
O SILÊNCIO ENSURDECEDOR AUMENTA A ATMOSFERA DE INSANIDADE... O SANGUE DE AMBOS SE FUNDE NO CHÃO MARCANDO PARA SEMPRE OS CORAÇÕES ALFREDOGUEDENSES... 
EM MINHA CASA A TRAGÉDIA AINDA É CONTADA HOJE EM DIA... MINHA TIA LAURA PASSOU A NOITE ACOMPANHANDO OS FAMILIARES QUE AINDA ESPERAVAM O REGRESSO DE MIGUEL, QUE FORA INTERNADO NO HOSPITAL DE AGUDOS. LAURA DORMIRA NUMA CAMA QUE PERMANECEU GELADA POR TODA A NOITE, E NO AMANHECER, SOUBE QUE AQUELA TINHA SIDO SEMPRE A CAMA DE SALIM! ALMA TRISTE E FRIA COM O VIOLENTO E RÁPIDO PARTIR...
PASSADOS VÁRIOS DIAS, MIGUEL NÃO AGUENTARA O TRATAMENTO E SUCUMBIRA AOS CHAMADOS DA MORTE... FORA ABRAÇAR E CONFORTAR A ALMA DO FILHO HERÓI E DEFENSOR, ALMA HONRADA E RETA!
A TRISTEZA PERMANECIA IMUTÁVEL SOBRE A FAMÍLIA DOS LIBANESES, QUE POR FIM PARTIRA PARA OS ESTADOS UNIDOS, EM BUSCA DE ALENTO PARA UM RECOMEÇO... E ENTRE LÁGRIMAS E ABRAÇOS BROTAVA A FORÇA NECESSÁRIA PARA DESVINCULAR-SE DAS DORES E AMORES, VIVIDAS NA NOSSA ALFREDO GUEDES... E AS ASAS DE LUZ, QUE NUNCA ABANDONAM OS QUE CRÊEM, CONTINUAVAM A AMPARÁ-LOS E INSPIRÁ-LOS... ENQUANTO OS MALUF CORTAVAM OS MARES DE NAVIO, SERES MÁGICOS CORTAVAM OS ARES COM ELES, SEGUINDO E ABENÇOANDO.
O TEMPO PASSOU E MINISTROU OS REMÉDIOS COM PRECISÃO ABSOLUTA PARA AQUELAS DOLORIDAS ALMAS QUE JÁ NÃO ERAM MAIS TÃO TRISTES... TINHAM SAUDADES, MAS SABIAM QUE AS VIDAS NÃO HAVIAM PASSADO EM BRANCO E MUITO MENOS DESAPARECIDO COM OS SEUS CORPOS... SABIAM QUE ESTAVAM JUNTOS EM ALGUM LUGAR QUE ABRIGA OS JUSTOS... ASSIM É O AMOR: RENASCE INCESSANTEMENTE!
DEPOIS DE MUITAS LUAS, VOLTARAM PARA O BRASIL E VIERAM VIVER EM BAURU... PROVAVELMENTE ESTEJAM LÁ AINDA, ALGUNS DE SEUS DESCENDENTES.
E ASSIM COMO PASSAM AS ESTAÇÕES, COMO MUDAM O VERDE, O COLORIDO E O RESSECAR DOS ARVOREDOS, COMO MORREM AS VELHAS ÁRVORES E DESABROCHAM AS SUAS SEMENTES, A VIDA RESSURGE COM FORÇA E MAESTRIA!
EXATA E PLENA, ABUNDANTE E FECUNDA SEMEADURA DE ALMAS E AMORES...
E NO CHÃO DE SANGUE, SENTIMENTOS E PLANTAS FLORESCERAM... E A NEGRITUDE DO ASSUSTADOR NEVOEIRO FOI VENCIDA PELA CLARIDADE ALEGRE DO OTIMISMO E DA ESPERANÇA!
... E ENTÃO VENCERA A FORÇA DO ENTUSIASMO DOS DESCENDENTES QUE ALIMENTAM AQUELAS MEMÓRIAS COM SAUDADES E TERNURAS ETERNAS...



CÉLIA MOTTA.


sexta-feira, 2 de junho de 2017

"BELO"

E PARA BRINDAR A NOSSA CLARA E FRIA MANHÃ, REVERENCIAMOS A FIGURA LENDÁRIA DO "BELO"!
HOMEM QUERIDO, DE RESPEITO, FOI FIGURA MARCANTE EM NOSSAS PARAGENS, E AQUI CONSTITUIU FAMÍLIA.
ALIÁS, FAMÍLIA IMENSA, NO SEU NÚMERO E NO TAMANHO SEU CORAÇÃO.
ALMAS NOBRES DESDE SEMPRE, DEIXARAM AQUI ENTRE NÓS, SOMENTE MARCAS DE AMIZADE E DE SAUDADES.
COM SUA ESPOSA DONA ELZA, QUE A MIM CHAMAVA "A MINHA FILHA PRETA", ESCREVERAM UMA VALOROSA HISTÓRIA QUE FOI IMPREGNADA EM TODA A SUA DESCENDÊNCIA. DESCENDÊNCIA ESTA, DE OLHOS CLARÍSSIMOS, CABELOS RELUZENTES E INTELIGÊNCIA DIFERENCIADA. E CADA UM DELES, REVIVE A SEU MODO, A VIDA DE SEU PAI... É VIDA QUE SEGUE.

RECORDO-ME DE UMA ÉPOCA JÁ MUITO DISTANTE, EM QUE NO BAR DO BELO, QUE ERA O MESMÍSSIMO LUGAR EM QUE DONA MARIA E SR. OLEGÁRIO TAMBÉM VIVERAM, HAVIA EM CERTAS NOITES, UM PEQUENO BAILE. E ALI A MÚSICA DITOU AS NOTAS MUSICAIS QUE COMPUSERAM A TRILHA DESSA DISTINTA FAMÍLIA.
BELO PARTIU CEDO. MAS SEMPRE ESTARÁ ENTRE NÓS.
VIROU NOME DE RUA, PELO MÉRITO DE SUA JORNADA, TÃO BELA QUANTO ELE PRÓPRIO.

CÉLIA MOTTA.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

"SINFONIA DO FALAR"


FALO DAQUILO QUE DENTRO DA GENTE FAZ BURBURINHO
FALO DAQUILO QUE SÓ CARREGA NA ALMA, QUEM AQUI NASCE
FALO DO CATETO EM SUAVES BARULHINHOS
FALO DE UM "NÃO SEI QUÊ" A REVIRAR ENTRANHAS
FALO DAS ARTES, DAS MANHAS, DAS MANHÃS E ARTIMANHAS
FALO DE UM COCHICHO QUE VEM COM O VENTO
ÀS VEZES TREMOR, ÀS VEZES LAMENTO
FALO DO SOM QUE VIBRA NOS TÚNEIS INTERNOS DE CADA GUEDENSE
FALO DOS PASSEIOS NA ESTAÇÃO, DE ESPÍRITOS QUE AINDA FLUTUAM NOS DEVANEIOS DE CADA CORAÇÃO
FALO DO DESEJO QUE CORTA O SONO, A DEBATER OS CORPOS
DOS DESVARIOS NOTURNOS, INEBRIADOS PELO PERFUME DA FLOR DE MANACÁ
DOS LAMPEJOS DO PASSADO QUE A TODO TEMPO TEIMAM EM RETORNAR
FALO DAS PEDRAS, PRECIOSAS DE ENCANTOS E SEGREDOS
FALO, AINDA DAS PEDRAS, ORÁCULOS DE MAGIA SOB ANTIGOS ARVOREDOS
FALO DE UM TESOURO IMPRESSO EM PROFUNDAS MARCAS
MARCAS NAS PEDRAS
MARCAS DEIXADAS POR ANÍZIO ISIDORO, NO RICO TAPETE SOBRE AS RUAS
MARCAS NA ALMA
MARCAS AINDA A CRAVAR MOMENTOS
CAMINHOS A ANDAR NO TEMPO
FALO DAS MESTRAS MÃOS DE QUEM AS COLOCOU ALI, EM TÃO RICO CHÃO
FALO DOS SUORES GOTEJADOS, EVAPORADOS, AINDA A ESPALHAR EMOÇÃO
FALO DE JOSÉ DO CORREIO
FALO DO BAR DO BELO, FALO DE MARIA E OLEGÁRIO, FALO DE LUIZ PORTADOR
FALO DE DONATO E DONA CIDA
FALO DE UM TELEFONE DE INDIAS
FALO DA NOIVA A ASSOMBRAR ESCADARIAS, TÃO MINHA!
SEU ODOR DE FLORES DE LARANJEIRA... BREJEIRA!
FALO DA POESIA
FALO DE ZEFERINO RIBEIRO
FALO DE DOUTOR BRASIL
FALO DA NOSTALGIA, FALO DO DR. ALFREDO GUEDES!
FALO DE UM PASSADO DORMENTE
DE UM AMOR LATENTE
DE UMA SAUDADE PRESENTE
DE UMA CHUVA A RETORNAR E GERMINAR SEMENTES
DE UM DOURADO POENTE
DE UM FARFALHAR A ARREPIAR A PELE
DE UMA LUA NUNCA AUSENTE
DE POMARES VIVOS
DE VOZES ANTIGAS
DE UIVOS LANCINANTES
DE CIRANDAS SECULARES
DE VIAGENS MISTERIOSAS PARA LONGÍNQUOS ESPAÇOS
FALO DO AMOR ANGELICAL! QUE EMBALA E CANTA
FALO DO AMOR SENSUAL! QUE VIBRA, DESCONCERTA, AQUECE, CONCEBE E ENCANTA
FALO DE ANTEPASSADOS ETERNOS
FALO DE MEMÓRIAS VIVAS
FALO DE MINHA TERRA
FALO DE MINHA VIDA
ALFREDO GUEDES, QUERIDA!


CÉLIA MOTTA.



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

PESQUISADOR DE SÃO MANUEL É CONTRA O ASFALTAMENTO DE ALFREDO GUEDES

              O pesquisador histórico de São Manuel Eduardo Ayres Delamonica postou dia 17 de janeiro em seu blog – Cetro de Pesquisa e História de São Manuel um apelo pelo não asfaltamento do Distrito de Alfredo Guedes, em sua coluna intitulada de Editorialblog, fez várias considerações ao desaparecimento da história em nosso distrito, que paulatinamente vai se perdendo.

              Com propriedade falou em uma escala evolutiva apontando os problemas aqui encontrados com a dilapidação de nossa memória, fazendo um apelo sóbrio às autoridades do município.

             Segue abaixo a íntegra do postado em seu blog

___________________________________________________________________________

DISTRITO DE ALFREDO GUEDES ESTÁ PERDENDO SUA IDENTIDADE HISTÓRICA


                            Em muito trabalho no resgate da memória de nossos ancestrais, nossa região é rica como um todo em sua história, não podemos aqui falar da história de Botucatu sem citar São Manuel, Lençóis Paulista, Agudos, Bauru, Barra Bonita, Pontal do Paranapanema etc. e vice e versa, na verdade toda a região está interligada pela história, foi construída pelos desbravadores que acunharam os nomes através das trilhas abertas em matas, de tijolos sobrepostos um a um, da construção de cidadelas, igrejas, enfim, construíram todo o complexo que hoje conhecemos por cidades, municípios e distritos.


De encontro com a interligação histórica a povoação de Lençóis Paulista teve início em meados do século XIX, quando o sertanista mineiro, José Teodoro de Souza, fixou residência no local. Uma outra versão atribui a fundação a Francisco Alves Pereira que, desligando-se de uma caravana destinada a Goiás, explorou o rio, mais tarde chamado “Lençóis”, porque suas espumas brancas eram semelhantes a lençóis. O patrimônio do Bairro de Lençóis, no território de Botucatu, teve início com a construção da capela em louvor à Padroeira Nossa Senhora da Piedade, sendo elevado à Freguesia Distrito, em 1858. Poucos anos depois, 1865, foi elevado a Município. Por existir na Bahia uma localidade chamada Lençóis, mais antiga, sua denominação foi alterada em 1944, para Ubirama, escolhida em virtude da cana-de-açúcar ser cultivada em grande escala no Município. O primitivo nome foi novamente adotado em 1948, acrescentando-lhe “Paulista” para diferenciar da Cidade baiana.

Armazém em Alfredo Guedes - 1908


A Capela de São João de Areia Branca em 1918 cedeu o nome em homenagem a Alfredo Guedes ao córrego que margeava o local. O Distrito de Alfredo Guedes foi criado pelo decreto nº 6753, de 06-10-1934 e anexado ao município de Lençóis, lugar prospero para sua época tinha cartório, estação ferroviária, farmácia e muitos estabelecimentos comerciais.

A imagem esculpida de São Bom Jesus data de 1926 foi restaurada e hoje se encontra exposta no Memorial Alfredo Guedes. No entanto o distrito antes era denominado de São João Areia Branca que teve sua Estação Ferroviária construída em 1898.

Quem não conhece deveria, é um local que nos remete a história de nossos antepassados, muito bem preservado lindo, aprazível, passível de nos remeter ao mais distante passado, local bem preservado.

No entanto, infelizmente ao longo dos anos vem sofrendo a depredação histórica que acompanha aos ignorantes que infelizmente não cultuam e respeitam a memória dos antepassados. Pessoas desprovidas de valor do resgate de memória que assombram a cada investida a desmoralização e dilapidação do acervo da própria sociedade, como se soçobrassem pela própria convicção medíocre e mesquinha, inebriados pela fumaça que fazem sem objetivo algum.

A dilapidação histórica começa na década de 80 onde foram arrancadas todas as arvores da Praça do Bom Jesus que era a característica de toda praça antiga, sem um estudo programado, arvores, algumas centenárias, foram dizimadas sem sobrar uma que fosse testemunha do melancólico assassinato da história. No mesmo período se foram os lindos postes e pedestais trabalhados com os originais globos de iluminação estes davam à paisagem ares de verdadeiras cenografias de novelas de época.

Recentemente, o mais ilustre nome da história de Alfredo Guedes foi soterrado no processo de municipalização do ensino, sufocaram o nome da dedicada Professora Cecília Marins Bosi, formadora de opinião, esposa do Dr. Gino Bosi este farmacêutico da localidade nos anos 30, destinando-a ao esquecimento. Dona Cecilia, já lecionava para as crianças do lugar muito antes da construção da escola, em barracões de tábua onde agregava seus alunos e exercia com maestria seu magistério.

Certamente uma mulher cuja a garra e o sacerdócio lhe trouxeram a qualificação para a justa homenagem. Excluindo assim a identidade de todos os alunos que por ali passaram. Com a atitude houve a unificação das duas escolas pertencentes a Alfredo Guedes, o infantil que se chamava Philomena Briquesi Boso e o fundamental que tinha como nomenclatura E.E.P.G. Cecília Marins Bosi, dessa fusão apagaram a memória de Dona Cecília, deixando uma lacuna instransponível no tempo e na realidade histórica guedense. Foi uma das mais marcantes ingratidões já registradas no contexto lençoense.    

Como se não bastasse a falta de sensibilidade das autoridades, houve também a dilapidação dos moveis históricos, antigos, que compunham a sala de espera e a diretoria da escola, lá haviam, a mesa de centro, porta chapéu com espelho, escrivaninha, todos bem conservados e sumiram, devo salientar que tais móveis seriam destaques no acervo do Memorial Alfredo Guedes.      

Existem rumores fortes de mais uma mutilação da história em Alfredo Guedes, o asfaltamento das ruas, não me parece uma opção acertada vez que tal empreendimento ira descaracterizar um local tão importante na história de nossa região. Muitas pessoas ligadas as pesquisas e história de nossa região não estão vendo com bons olhos esta atitude.

O asfaltamento embora um benefício, trará mais um enterro sobre os paralelepípedos que há muito traduzem a existência de um dos poucos lugares agradáveis, que poderia e muito ser explorado pelo turismo.

O Distrito Alfredo Guedes tem uma característica soberba sobre o manto do tempo que não pode ser apagada desta forma. Devemos preservar e não dilapidar, esta é a máxima, imagine Ouro Preto toda asfaltada, seria um descalabro.


Assim devo rogar à sensibilidade do Prefeito de Lençóis Paulista Anderson Prado de Lima e do seu Diretor de Bairro JR. Ticianelli. Ao prefeito local entendo ser pessoa dotada do mais puro bom senso, embora não o conheça tenho boas recomendações sobre o mesmo.


Senhor Prefeito é sua chance de resgatar a memória desta localidade, nesta linha eu como pesquisador histórico Eduardo Delamonica, já efetivei diversas incursões ao Distrito de Alfredo Guedes, onde constatei o que estou dizendo aqui.

A mim não é reservado tão somente o grito solitário, muitos aqui clamam por esta avaliação, como de pessoas importantes que entendem que esta história não pode ser enterrada simplesmente com uma camada de piche, devo evidenciar aqui o apoio a este protesto da Vereadora de Lençóis Paulista senhora Mirna Justo, a pesquisadora de Alfredo Guedes senhora Celia Motta a Equipe Aventureiros do Túnel o Senhor Waldemar Bicudo, ainda serão pedidos os apoios que certamente ouvirão nossos gritos do pesquisador de Botucatu João Figueroa ao Professor Doutor Edson Fernandes ao Senhor Thiago Melego dono do Site Área 14 e mais pesquisadores de toda a região. Será uma manifestação de apoio que tem como base a preservação histórica do Distrito de Alfredo Guedes.


Ao prefeito de Lençóis Paulista fica aqui nosso pedido, não asfalte um tesouro histórico que este município tem.     

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

VENTOS E VOZES

""VENTOS E VOZES""

A CHUVA, DESDE OS MAIS REMOTOS TEMPOS, SEMPRE DEIXOU-ME NOSTÁLGICA E COM A SENSIBILIDADE A FLORESCER.
 O BARULHO DE NOSSAS ANTIGAS ÁGUAS, OS CHEIROS QUE RETORNAM DE NOSSAS TERRAS SEMPRE FÉRTEIS.
 AH! AS FOLHAS E ARBUSTOS ENCHARCANDO-SE COM O RETORNO MILENAR DAS SEMPRE SANTAS ÁGUAS EM SEU CICLO CONSTANTE DE IDAS E VINDAS...
 MAS HOJE, MISTICAMENTE OS VENTOS VIERAM ME BUSCAR...VOZES DE OUTRAS DIMENSÕES LEVARAM-ME SEM RESISTÊNCIA ALGUMA... SENTI MESMO VONTADE DE ENTREGAR-ME ÀQUELA FLUTUAÇÃO ENFEITIÇADA DE MAGIAS E ENCANTAMENTOS DE VIBRAÇÕES SECULARES.
 SUSSURROS AO MEU OUVIDO ANUNCIARAM-ME A CHEGADA NUM OUTRO TEMPO... ENTRETANTO, NO MESMO ESPAÇO.
 E ENCONTRO-ME COM A PERSONALIDADE INTRIGANTE DO DR. ALFREDO GUEDES!
 AINDA ENVOLTA PELOS SUSSURRANTES VENTOS, ADENTRO A GUARDIÃ ANCESTRAL, "CAPELA DA AREIA BRANCA"!!!
 REVERENCIO EM DEMORADA INCLINAÇÃO TODOS OS ANTEPASSADOS QUE ME RECEBEM... AGRADEÇO À DIVINDADE PELA OPORTUNIDADE DA SAGRADA BUSCA... LEVANTO-ME A PEDIR LICENÇA...
 E AO MEU LADO, ALTO, LONGILÍNEO, ME ACOMPANHANDO JÁ HÁ MUITAS LUAS, O DR. ALFREDO GUEDES.
 POLÍTICO E EMPREENDEDOR, COM A BAGAGEM DE DEPUTADO ESTADUAL ENTRE 1892 A 1894 E 1898 A 1900; SECRETÁRIO DOS NEGÓCIOS DA AGRICULTURA NA VIGÊNCIA DO MANDATO DO CORONEL FERNANDO PRESTES, ADVOGADO E JORNALISTA.
 PROPRIETÁRIO DO JORNAL "TRIBUNA LIVRE" DE CASA BRANCA, E COLABORADOR DE OUTROS IMPORTANTES JORNAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO; UM ESTADISTA POR DEFINIÇÃO E PERSONALIDADE, CONDUTA E SENTIMENTO!
 FILHO DE JOSÉ GUEDES, BARÃO DE PIRAPITINGUI, CAFEICULTOR E GRANDE CAPITALISTA.
 ALFREDO FOI TRAZIDO AO MUNDO, NA CIDADE DE CAMPINAS, NO ANO DE 1868, COM O COMPROMISSO DE DESENVOLVER INTENSA E EXTENSA TRAJETÓRIA POLÍTICA E SOCIAL... E ASSIM FEZ!
 PRESTOU RELEVANTES SERVIÇOS PARA O ESTADO DE SÃO PAULO, TEVE IMPORTANTÍSSIMA ATUAÇÃO COMO ARTICULADOR DA IMPLANTAÇÃO DA CIDADE DE TAMBAÚ, GRANDE BENFEITOR DE PIRACICABA E REGIÃO, BEM COMO NA IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA AGRÍCOLA LUIZ DE QUEIRÓZ.
 DESCUBRO ENTÃO, QUE SEU BERÇO FOI DE PRIMORDIAL DECISÃO NA ORIENTAÇÃO DE SUA JORNADA.
 SUA IRMÃ TROUXERA CONSIGO, PEDRAS A LAPIDAR, BRILHANDO NA SEMANA DE ARTE MODERNA DE SÃO PAULO EM 1922... CULTURALMENTE REVOLUCIONÁRIA; OLÍVIA GUEDES PENTEADO, VIVEU POR TEMPOS EM PARIS, DE ONDE TROUXE EXEMPLARES DE EXPOENTES ARTISTAS.
 ASSIM COMO A IRMÃ, ALFREDO TRAZIA NA GENÉTICA FÍSICA E ESPIRITUAL, OS ELEMENTOS REVOLUCIONÁRIOS E SAGRADOS DE UMA ÉPOCA.
 E OUÇO O CAVALHEIRO A CONTAR-ME DE NOSSA "CAPELA DE AREIA BRANCA", DOS TRILHOS DA ESTRADA DE FERRO E SEUS ESTRIDENTES TRENS DE SONHOS, DESDE OS IDOS 1898. ALFREDO PRESENCIARA A ANTIGA GUARDIÃ, CAPELA DA AREIA BRANCA  LUTARA, NUMA ÉPOCA EM QUE SEUS INTENTOS DESABROCHARAM NA REALIDADE CRESCENTE DO OURO VERDE DO CAFÉ!
 CAPELA DA AREIA BRANCA, EM 1918, CEDEU SEU NOME QUE HOMENAGEAVA O NOSSO CÓRREGO, PARA REVERENCIAR A PERSONALIDADE MARCANTE DO HOMEM QUE ALI FREQUENTAVA. JÁ ERA NOSSO, O ALFREDO DA CAPELA DA AREIA BRANCA. AREIAS BRANCAS DE ALFREDO, O GUEDES DE NOSSOS CÓRREGOS, DAS ÁGUAS SANTAS QUE VÃO E RETORNAM.
 A ACOMPANHAR-ME... A BUSCAR-ME COM OS VENTOS E AS VOZES!
 CASOU-SE COM ALBERTINA AZEVEDO GUEDES, MAS NÃO TIVERAM FILHOS, QUE NÃO FOSSEM O SEU LEGADO PARA A HISTÓRIA.
 E OS MESMOS VENTOS E AS MESMAS VOZES QUE ME ENVOLVERAM EM MISTERIOSA VIAGEM AO PASSADO, LEVARAM ALFREDO AINDA MUITO JOVEM PARA OUTRAS PARAGENS,






AOS 36 ANOS!
 BELO E INTELIGENTE! CULTO E ÚNICO!
 CAVALHEIRO A ACOMPANHAR-ME, UM PRÍNCIPE EM SEUS MODOS...E DEIXA-ME AOS OUVIDOS A PROMESSA DE OUTROS VENDAVAIS...
 EU ESPERAREI, ALFREDO...


 CÉLIA MOTTA

DR. ALFREDO GUEDES

DR. ALFREDO GUEDES...


VENTOS E VOZES... ME LEVAM... ME TRAZEM... ALVOROÇANDO-ME.

SINA DE GARIMPEIRA... EMOÇÃO POR VOCAÇÃO!

CORAÇÃO MATERNO SEM FILHOS... PARINDO NINHADAS DE HISTÓRIAS... ALMA GUARDIÃ DAS ANCESTRAIS MEMÓRIAS! EMBALANDO SEGREDOS EM DANÇA FRENÉTICA...

VAGALUMES A PONTILHAR A ESCURIDÃO... É O NOSSO REGRESSO!

ALFREDO... ALFREDO... ALFREDO...

GUIA PERFEITO!

CÔNCAVO DE MINHA ALMA; DE MEU ESPÍRITO, O CONVEXO...

INSPIRAÇÃO DA PAIXÃO! DA BUSCA, O MEU CHÃO!

ALQUIMIA DE IDEAIS E DE DESEJOS, BROTOU.

EM MINHA PELE FAZ-SE QUENTE E PRESENTE AQUILO QUE FORA O SEU DOM...


ENTREGO-ME INTEIRA... E ENTÃO SEGUES COMIGO... AGORA SEI: A GARIMPAR... GARIMPAR...

CÉLIA MOTTA.