quinta-feira, 22 de junho de 2017

DA CRIAÇÃO DO DISTRITO DE ALFREDO GUEDES

TEXTOS OFICIAIS DA CRIAÇÃO DE NOSSO AMADO DISTRITO, ERRONEAMENTE DENOMINADO "BAIRRO" OU "VILA". COMO SE VÊ NA OBSERVAÇÃO ATUALIZADA DO SITE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO, NÃO HOUVE REVOGAÇÃO EXPRESSA!




TEXTO ORIGINAL DO DIÁRIO OFICIAL DA ÉPOCA:


É O NOSSO DISTRITO SEGUINDO, CONTANDO A SUA HISTÓRIA E GUARDANDO AS SUAS LENDAS!

                                                                                     Alfredo Guedes Guardiã de Lendas
                                                                                     Célia Motta.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

CLAUDIO BOSO E O SEU MARAVILHOSO CÃO TARZAN

CLAUDIO BOSO E SEU MARAVILHOSO CÃO TARZAN







DENTRE TANTAS COISAS RARAS E POÉTICAS QUE JÁ NARRAMOS NESTE ESPAÇO, UMA, ME É MUITO CARA: É A PARTICIPAÇÃO DE MEU AMIGO CLAUDIO BOSO, EM ABSOLUTAMENTE TUDO O QUE SE REFIRA A ALFREDO GUEDES.
MEU AMIGO DESDE SEMPRE, RECORDO-ME COMO SE FOSSE HOJE, DE CADA UMA DE SUAS NARRATIVAS NO ALTO FALANTE DA IGREJA EM DIAS E NOITES DE QUERMESSE.  TEMPOS QUE JÁ SE VÃO AO LONGE... OUÇO OS ECOS AINDA AGORA. É A VOZ DE CLAUDIO RESSOANDO EM NOSSAS IMEDIAÇÕES!
EU NASCI E CRESCI NESSA ATMOSFERA EXALANDO CHEIROS ANTIGOS, CONSTRUÍDA POR PROTAGONISTAS TRADICIONALISTAS E CONSERVADORES, SEMPRE PRONTOS PARA TUDO O QUE BENEFICIASSE O NOSSO LUGAR, A NOSSA MEMÓRIA E A NOSSA HISTÓRIA. QUANDO EU ERA AINDA MUITO MENINA, SEMPRE ESPERAVA PELA PASSAGEM DE CLAUDIO BOSO, NA CALÇADA DA CASA DE MEU AVÔ. SENTADA SOB A GRANDE PRIMAVERA EM FORMATO DE GUARDA CHUVA QUE O VELHO LOURENÇO TINHA EM SEU PORTÃO DE ENTRADA, FICAVA EU LÁ, POR UM LONGO TEMPO ATÉ QUE CLAUDIO PASSASSE... ENQUANTO ELE NÃO VINHA, EU OBSERVAVA AS PEQUENAS FLORES COR DE MARAVILHA QUE SE DESPEJAVAM PELO CHÃO, À MINHA VOLTA. SOBRE MIM, EU OBSERVAVA UM CÉU ARREDONDADO MESCLANDO-SE EM VERDE E MARAVILHA! MEU SURREAL GUARDA CHUVA DE SONHOS INFANTIS! ERA A MINHA ALMA ADVINHANDO O QUANTO EU O ADMIRARIA AO LONGO DE TODOS OS ANOS QUE VIERAM DEPOIS. E EU DE FATO, NÃO ME ENGANEI.
CLAUDIO É DESSAS PESSOAS, COM AS QUAIS VOCÊ PRECISA SENTAR-SE COM UM GRAVADOR LIGADO OU ANOTAR ABSOLUTAMENTE TUDO O QUE ELE DIZ: ELE É UMA VERDADEIRA ENCICLOPÉDIA DE HISTÓRIAS GUEDENSES. E QUANDO ELE CONTA AS PASSAGENS ANTIGAS, A GENTE PERCEBE QUE ELE AS ESTÁ REVIVENDO O PASSADO NO MOMENTO PRESENTE. POR ISSO, TUDO À VOLTA DELE VAI SE TRANSFORMANDO EM IMAGENS REAIS.
NA ÉPOCA DA BUSCA DE MATERIAIS PARA A INSTALAÇÃO DO MEMORIAL ALFREDO GUEDES, CLAUDIO FOI MAIS QUE PRONTO, TORNANDO-SE UM COLABORADOR INCANSÁVEL. FOI PESSOALMENTE AO ENCONTRO DE CONCEIÇÃO LANGONA, NO MUSEU ALEXANDRE CHITTO, EM LENÇÓIS PAULISTA, COM UMA PASTA ENORME, REPLETA DE FOTOS DE ÉPOCA E UMA BAGAGEM EMOCIONAL COMPOSTA DE HISTÓRIAS SURREAIS E SAUDOSISTAS. MEMÓRIA IMPECÁVEL!
QUANDO DA INAUGURAÇÃO DO MEMORIAL, MESMO ESTANDO EM RECUPERAÇÃO DO SÉRIO ACIDENTE DO QUAL FOI VÍTIMA, ELE FOI NOS VISITAR. AINDA SEM PODER ANDAR DIREITO, LÁ COMPARECEU COM A SUA ESPOSA MARISA, A SOGRA E O SEU FILHO UDSON, QUE GENTILMENTE OS LEVOU ATÉ LÁ, SENTADO EM UMA CADEIRA, NA CARRETA DO TRATOR. ESTE HOMEM DE MIL VIVÊNCIAS E MIL SOLICITUDES, ASSIM É:
CORAÇÃO E ALMA “ALFREDOGUEDENSE”!
ENTREGANDO UMA DE SUAS FOTOS, EM QUE AINDA ERA UM GAROTO, DE OLHARES DE HORIZONTES E ESPERANÇAS INFINITAS, ABRAÇADO A UM LINDO CACHORRO, NA FAZENDA SÃO SEBASTIÃO, DE SUA FAMÍLIA, FEZ QUESTÃO DE EXIGIR: “Quero que coloquem nesta foto a seguinte legenda: Claudio Boso e seu maravilhoso cão Tarzan”. FOI PRONTAMENTE ATENDIDO.

EM UMA DE SUAS NARRATIVAS, RESOLVEU CONTAR-NOS UM FATO OCORRIDO, POR OCASIÃO DO FALECIMENTO DE SEU SAUDOSO PAI, FORTUNATO BOSO; E SOMENTE ENTÃO, NÓS ENTENDEMOS O MOTIVO DE HOMENAGEAR O BELO CÃO: A FIDELIDADE E O AMOR DEVOTADOS AO SEU DONO FORTUNATO BOSO, MAIS CONHECIDO COMO “NATO BOSO”.
O ANO É DE 1958, E O SOL BRINDA A FAZENDA SÃO SEBASTIÃO, AQUECENDO OS RASGARES DE PALHAS DE MILHO, ILUMINANDO A ALEGRIA DAS CRIANÇAS EM CONFECCIONAR OS PRÓPRIOS COLCHÕES. GRANDES NUVENS FOFAS A RECEBER SALTOS E SORRISOS INFANTIS.
EM CERTO DIA, SR. NATO BOSO CONVIDOU O SEU IRMÃO SEGUNDO BOSO PARA UMA PESCARIA NO RIO LENÇÓIS. TARZAN OS ACOMPANHOU A PEDIDO DE NATO, POIS ERA OBEDIENTE. SE FOSSE CHAMADO POR UM ASSOBIO, ACOMPANHAVA. SE NATO LHE ORDENASSE QUE FICASSE DEITADO, O CÃO ALI ESPERAVA.
CHEGANDO AO RIO, CADA IRMÃO ESCOLHEU UM LOCAL DIFERENTE PARA SENTAR E PESCAR. O PRESTATIVO CÃO, OBVIAMENTE ACERCOU-SE DE SEU DONO E POR ALI PAROU.
DEPOIS DE CERTO TEMPO, O CÃO FOI EM DISPARADA CHAMAR A ATENÇÃO DO SR. SEGUNDO BOSO... LATIA, UIVAVA, VOLTAVA AO POSTO DE PESCARIA DE NATO E MAIS UMA VEZ RETORNAVA OFEGANTE E AGITADO ONDE ESTAVA SEGUNDO.
SEGUNDO ENTENDEU QUE O CÃO O ESTAVA CHAMANDO PARA VER ALGO. SEGUNDO ENTÃO SEGUIU O CACHORRO. LÁ CHEGANDO, OBSERVOU QUE O SEU IRMÃO NATO ESTAVA PASSANDO MUITO MAL E O CÃO FIEL QUERIA AJUDÁ-LO.
SEGUNDO FOI BUSCAR AJUDA PARA LEVAR O IRMÃO DE VOLTA PRA CASA. ENTRETANTO, A AREIA DA SAGRADA AMPULHETA DOS TEMPOS, HAVIA SE ESGOTADO!  NATO HAVIA PARTIDO PARA A LUZ.
NAQUELE TEMPO, AS PESSOAS ERAM VELADAS EM SUAS CASAS. AMIGO DE TODOS, COM UM TEMPERAMENTO BRINCALHÃO E SIMPÁTICO, TINHA SEMPRE UM SORRISO PARA OFERECER A QUEM QUER QUE FOSSE. QUERIDO QUE ERA, SEU VELÓRIO FOI VISITADO POR INCONTÁVEL NÚMERO DE PESSOAS.
O MARAVILHOSO CÃO TARZAN, INSEPARÁVEL AMIGO DE NATO, NÃO SE DISTANCIOU DO AMIGO NEM POR UM SEGUNDO. EM TRISTEZA SEM FIM, DEITOU-SE SOB O CAIXÃO FICANDO ATÉ A HORA DO SEPULTAMENTO.
QUEM VIU, CHOROU. E MAIS AINDA SE COMOVEU, QUANDO O CÃO FICOU EM PÉ, SE APOIANDO NO CAIXÃO DE NATO E LAMBEU O SEU ROSTO PARA DESPEDIR-SE.
MAGIAS SUTIS E MOMENTOS POÉTICOS OCORREM SOMENTE COM ALMAS ESPECIAIS E SENSÍVEIS. NATO FOI PARA A LUZ E SEU CÃO LOGO O ACOMPANHOU. POIS NOS SETE DIAS QUE SE SEGUIRAM, O CÃO SE NEGAVA A ALIMENTAR-SE SUBMERGINDO EM TRISTEZA E SOLIDÃO, PARTINDO PARA ENCONTRAR-SE COM O SEU INCOMPARÁVEL DONO.
ACHEI ESTA PASSAGEM LENDÁRIA, NORTEADA POR ENCANTADA POESIA. TODA DESPEDIDA, AINDA QUE SEJA DOLOROSA, INDEPENDENDO DE SER REPENTINA OU TARDIA, CARREGA A FORÇA DA ETERNIDADE, CARREGA A BELEZA DO CRIADOR EM CADA UMA DE SUAS DÁDIVAS.
NAS MEMÓRIAS DE CLAUDIO, AINDA SE HOUVE O RELINCHAR DE CAVALOS E A ANIMAÇÃO DE UM BANDO DE TROPEIROS, QUE ALGUM TEMPO DEPOIS DA PASSAGEM DE SEU PAI, VEIO PARA VISITÁ-LO. AINDA SE VÊ A REVERÊNCIA E O RESPEITO, DEMONSTRADO PELO ABAIXAR DE CABEÇAS DOS TROPEIROS, AO SABER DA PARTIDA DO AMIGO. A ALEGRIA CONVERTIDA EM DESAPONTADO SILÊNCIO, A SAÍDA MANSA E LENTA DAQUELES HOMENS MONTADOS EM SEUS CAVALOS, AINDA LEVANTA POEIRAS SAUDOSAS DA FAZENDA SÃO SEBASTIÃO DE ALFREDO GUEDES. O SORRISO FRANCO DE NATO BOSO, BEM COMO O OLHAR ATENTO E CUIDADOSO DO CÃO, AINDA ESTÃO LÁ! EM SAGRADA ETERNIDADE, VIVENDO NAS VEIAS DE SUA DESCENDÊNCIA.

                                                    ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS
                                                    CÉLIA MOTTA.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

SALIM E SUA NOIVA

A NOIVA DE SALIM.

AINDA NÃO TEMOS CERTEZA ABSOLUTA, MAS TUDO INDICA QUE SEU NOME ERA LUIZA CARDOSO.
PROVAVELMENTE, SUA FAMÍLIA FOSSE DE NOSSA CIDADE VIZINHA, MACATUBA.

CÉLIA MOTTA.

UM PEQUENO SANTUÁRIO

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

CAPELA DO SEPULTAMENTO DA FAMÍLIA MALUF EM LENÇOIS PAULISTA. 
ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS.
CÉLIA MOTTA.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

E DIANTE DA DOR, EU ENCONTRO A ETERNA BELEZA
DIANTE DA LÁGRIMA DA MÃE, A PUREZA
NA DOR DA VIUVEZ, A CERTEZA DO REENCONTRO
NA VOZ DA SOLIDÃO, O OLHAR E O AMPARO DE DEUS
SALIME! SÍMBOLO DA FORÇA, MANSA EM SEU AMOR
SIMBIOSE DE SANTA EM FLOR...

CÉLIA MOTTA.


CERTIDÃO DE NASCIMENTO DE SALIM MALUF

A imagem pode conter: 1 pessoa


CERTIDÃO DE NASCIMENTO DE SALIM MALUF. RARIDADES DE NOSSA GUARDIÃ DE LENDAS, QUE COMPUSERAM A NOSSA TRAJETÓRIA HISTÓRICA, E AGORA RECONSTROEM AS NOSSAS MAIS CARAS MEMÓRIAS NO TEMPO. 


Alfredo Guedes Guardiã De Lendas.
Célia Motta.


Nenhum texto alternativo automático disponível.

A TRAGÉDIA NOS JORNAIS

E SOBRE A TRAGÉDIA, O JORNAL "O E'CHO" SE PRONUNCIOU. EM 05/02/1939 E 08/03/1939. OS REGISTROS DERAM CONTA DO OCORRIDO.
ALFREDO GUEDES GUARDIÃ DE LENDAS.
Nenhum texto alternativo automático disponível.



CNenhum texto alternativo automático disponível.

SENHOR MIGUEL MALUF E SUA SENHORA SALIME MALUF

AQUI NESTE ESPAÇO, ALGUNS MOMENTOS SÃO DE RARA POESIA. ENCONTROS SURPREENDENTES ME TROUXERAM DUAS FOTOS INÉDITAS E RARAS, AO MENOS PARA NÓS, DAQUI DA REGIÃO. TODOS JÁ OUVIMOS E JÁ FIZEMOS A LEITURA DA TRAGÉDIA OCORRIDA NA FAMÍLIA MALUF, NO ANO DE 1939, EM QUE FALECERAM PAI E FILHO, NA NOSSA ALFREDO GUEDES.
O QUE ATÉ ENTÃO NÃO DISPÚNHAMOS, ERA DA IMAGEM DE TÃO DISTINTO CASAL, QUE AQUI ENTRE NÓS, FORMOU A FAMÍLIA E EMPREENDEU NO COMÉRCIO LOCAL, NO RAMO DE VENDAS DE CARNE, AO SEU TEMPO DE PERMANÊNCIA NO NOSSO MÁGICO REDUTO.NÃO DISPÚNHAMOS TAMBÉM, DA IMAGEM DE SALIM, SEU JOVEM FILHO MORTO NA MESMA TRÁGICA CIRCUNSTÂNCIA.
CRESCI ESCUTANDO MINHA FAMÍLIA FALAR, E FALAR MUITÍSSIMO BEM, DE DONA SALIME, DO SR. MIGUEL E DO FILHO DO CASAL, CHAMADO SALIM MALUF. ESCUTEI E SENTI CADA TRAÇO DE TRISTEZA E SAUDADE DEIXADO NA DESPEDIDA DESSA TRADICIONAL FAMÍLIA, QUE ALFREDO GUEDES TEVE UM DIA, A HONRA DE RECEBER, E A DOR DE DESPEDIR-SE.
UM ORGULHO INENARRÁVEL PARA MIM. É TAMBÉM UMA EMOÇÃO INIGUALÁVEL, QUE CREIO SER INCLUSIVE, O REFLEXO DE TODOS OS MEUS QUE JÁ SE FORAM, MAS QUE CONVIVERAM COM SALIME E MIGUEL. ENTÃO, QUERO DIVIDIR COM VOCÊS A MAGIA DE VOLTAR NO TEMPO E REGATAR UMA PRECIOSIDADE DO GARIMPO. RARA E INÉDITA! 


CÉLIA MOTTA.



CONTA-SE QUE CORRIA O ANO DE 1939 NA NOSSA GUARDIÃ DE LENDAS... O SENHOR MIGUEL MALUF COMERCIALIZAVA CARNES JUNTO A SEUS FAMILIARES. COMPRAVA E ABATIA GADO PARA SUPRIR AS NOSSAS REDONDEZAS. ERA CASADO COM A SENHORA SALIME. FAMÍLIA DE LIBANESES. 
NAQUELA ÉPOCA, O SR. EMÍLIO DORACIOTTO, FEITOR DAS ESTRADAS DE FERRO, ESTAVA INCUMBIDO DE CONSTRUIR UMA CERCA.
ENTRETANTO, A CERCA ESTAVA COMPROMETIDA PELO ESPAÇO QUE UMA ÁRVORE OCUPAVA NA DIVISA ENTRE A PROPRIEDADE DOS MALUF E A ÁREA DA ESTAÇÃO DE TREM.
A DISCUSSÃO FOI INICIADA ENTRE MIGUEL E DORACIOTTO, E FOI GANHANDO FORÇA E CALOR... OS ÂNIMOS EXALTANDO-SE...
AS AGRESSÕES VERBAIS ACALORAVAM-SE MAIS E MAIS POR CONTA DA TAL ÁRVORE... DORACIOTTO PRECISAVA CORTÁ-LA E MALUF DEFENDIA O LIMITE DE SUA PROPRIEDADE!
SALIM, FILHO AMOROSO, PREOCUPADO COM A INTEGRIDADE FÍSICA DE SEU SEXAGENÁRIO PAI, ENTROU NA CONTENDA TENTANDO LEVAR EMÍLIO DORACIOTTO PARA CASA, NA ESPERANÇA DE ACABAR COM A DISCUSSÃO QUE PROMETIA IR ÀS VIAS DE FATO.
E OS MALUF SE APROXIMAVAM MAIS E MAIS DO ANGUSTIANTE DESFECHO ARMADO PELO DESTINO! AMADOS POR TODOS, "ALFREDOGUEDENSES" DE ALMA QUE ERAM, TIVERAM COMO EXPECTADORES NOSSOS ESPÍRITOS ANTIGOS ILUMINANDO TAMANHA ESCURIDÃO QUE CRESCIA SOBRE A ÁRVORE, DIVISA DE PROPRIEDADES, DIVISA DE DESTINOS, DIVISOR DE ÁGUAS DO ANTES E DO DEPOIS, PRETEXTO DE DEMANDA, REDUTO DE EXTREMA DOR!
ASAS DE LUZ FORAM COBERTAS POR REVOARES DE NEGRUME E AMARGOR, DORACIOTTO ENVOLVIDO PELA IRA DELE MESMO E POR TRAIÇOEIRAS IRAS EXTERIORES E SOMBRIAS, DESFERIU UM GOLPE DE CAVADEIRA NA CABEÇA DE SALIM... E O MOÇO TOMBARA SEM SUA ANTIGA FORÇA FECHANDO OS SEUS OLHOS ALI MESMO. MORRE O AMADO FILHO DE MIGUEL E SALIME MALUF.
NUVENS NEGRAS CRESCIAM E O FÉTIDO ODOR DA MALDADE JÁ SE FAZIA SENTIR NOS ARREDORES... OBEDECENDO À IRA, APESAR DA INDESCRITÍVEL DOR DO PAI DILACERADO, DORACIOTTO FERE GRAVEMENTE O SR. MIGUEL MALUF!
O SILÊNCIO ENSURDECEDOR AUMENTA A ATMOSFERA DE INSANIDADE... O SANGUE DE AMBOS SE FUNDE NO CHÃO MARCANDO PARA SEMPRE OS CORAÇÕES ALFREDOGUEDENSES... 
EM MINHA CASA A TRAGÉDIA AINDA É CONTADA HOJE EM DIA... MINHA TIA LAURA PASSOU A NOITE ACOMPANHANDO OS FAMILIARES QUE AINDA ESPERAVAM O REGRESSO DE MIGUEL, QUE FORA INTERNADO NO HOSPITAL DE AGUDOS. LAURA DORMIRA NUMA CAMA QUE PERMANECEU GELADA POR TODA A NOITE, E NO AMANHECER, SOUBE QUE AQUELA TINHA SIDO SEMPRE A CAMA DE SALIM! ALMA TRISTE E FRIA COM O VIOLENTO E RÁPIDO PARTIR...
PASSADOS VÁRIOS DIAS, MIGUEL NÃO AGUENTARA O TRATAMENTO E SUCUMBIRA AOS CHAMADOS DA MORTE... FORA ABRAÇAR E CONFORTAR A ALMA DO FILHO HERÓI E DEFENSOR, ALMA HONRADA E RETA!
A TRISTEZA PERMANECIA IMUTÁVEL SOBRE A FAMÍLIA DOS LIBANESES, QUE POR FIM PARTIRA PARA OS ESTADOS UNIDOS, EM BUSCA DE ALENTO PARA UM RECOMEÇO... E ENTRE LÁGRIMAS E ABRAÇOS BROTAVA A FORÇA NECESSÁRIA PARA DESVINCULAR-SE DAS DORES E AMORES, VIVIDAS NA NOSSA ALFREDO GUEDES... E AS ASAS DE LUZ, QUE NUNCA ABANDONAM OS QUE CRÊEM, CONTINUAVAM A AMPARÁ-LOS E INSPIRÁ-LOS... ENQUANTO OS MALUF CORTAVAM OS MARES DE NAVIO, SERES MÁGICOS CORTAVAM OS ARES COM ELES, SEGUINDO E ABENÇOANDO.
O TEMPO PASSOU E MINISTROU OS REMÉDIOS COM PRECISÃO ABSOLUTA PARA AQUELAS DOLORIDAS ALMAS QUE JÁ NÃO ERAM MAIS TÃO TRISTES... TINHAM SAUDADES, MAS SABIAM QUE AS VIDAS NÃO HAVIAM PASSADO EM BRANCO E MUITO MENOS DESAPARECIDO COM OS SEUS CORPOS... SABIAM QUE ESTAVAM JUNTOS EM ALGUM LUGAR QUE ABRIGA OS JUSTOS... ASSIM É O AMOR: RENASCE INCESSANTEMENTE!
DEPOIS DE MUITAS LUAS, VOLTARAM PARA O BRASIL E VIERAM VIVER EM BAURU... PROVAVELMENTE ESTEJAM LÁ AINDA, ALGUNS DE SEUS DESCENDENTES.
E ASSIM COMO PASSAM AS ESTAÇÕES, COMO MUDAM O VERDE, O COLORIDO E O RESSECAR DOS ARVOREDOS, COMO MORREM AS VELHAS ÁRVORES E DESABROCHAM AS SUAS SEMENTES, A VIDA RESSURGE COM FORÇA E MAESTRIA!
EXATA E PLENA, ABUNDANTE E FECUNDA SEMEADURA DE ALMAS E AMORES...
E NO CHÃO DE SANGUE, SENTIMENTOS E PLANTAS FLORESCERAM... E A NEGRITUDE DO ASSUSTADOR NEVOEIRO FOI VENCIDA PELA CLARIDADE ALEGRE DO OTIMISMO E DA ESPERANÇA!
... E ENTÃO VENCERA A FORÇA DO ENTUSIASMO DOS DESCENDENTES QUE ALIMENTAM AQUELAS MEMÓRIAS COM SAUDADES E TERNURAS ETERNAS...



CÉLIA MOTTA.